Chapter “O Filho Doente”

O Filho Doente

 
“Deixe de se preocupar com os problemas e passe a cuidar deles.”

Eu penso que sou capaz de passar 1/3 da vida tentando evitar problemas e os outros 2/3 a lidar com os problemas que derivam desta minha tentativa de os evitar. Penso que poucas pessoas gostam de ter problemas. Por definição um problema é algo negativo, que não queremos e que nos causa desconforto. Portanto há que os evitar a todo o custo, certo? Errado.

Tu estas metido em problemas quando foges dos problemas. Evitá-los, adiar as soluções, fugir deles, fazer de conta que não existem, são tudo formas de pseudo auto-defesa que te levam direitinho ao fracasso. Eu compreendo que, por vezes, a quantidade é tão grande e o seu peso sobre ti é tão avassalador que o teu instinto de sobrevivência te isola e deixas correr, sem querer saber sequer o que irá acontecer. Mas deixa que te diga, não fiques aí muito tempo porque um problema por resolver tem a tendência de se transformar num monstro que dominará a tua vida.

Enche o peito de ar e, mesmo que seja tão desagradável como chupar um prego ferrugento, enfrenta as situações. Por muito complicadas que sejam há sempre uma ponta solta, fácil de resolver, pela qual podes começar a desenrolar o novelo.

As pessoas de sucesso aprendem a apreciar os problemas. Chamam-lhes desafios e têm um radar que os detecta. Quando acham um interessante, correm para ele e iniciam um jogo de esconde-esconde, de toca-e-foge até que o tenham dominado. Eu, pessoalmente, não sou assim, por natureza prefiro quanto menos problemas melhor, mas estou a tratar de mudar isso.

Começa por encarar um problema como se fosse um filho doente, tem uma gripe desgraçada e tu, mesmo preferindo que ele estivesse de boa saúde, ama-lo da mesma maneira. Não foges dele, cuidas dele. Não o evitas, ficas à cabeceira, dás-lhe mimos e carícias, enquanto sabes que estás a tratar do assunto e que ele em breve estará de novo lá fora a jogar à bola.

Quando conseguires amar assim os problemas, eles perdem o seu poder e vais verificar que uma coisa é fugir, outra é enfrentar e outra, muito mais poderosa, é amar. Como fazes com um filho doente.

 

 

2 Comments ↓

2 Responses to “O Filho Doente”

Leave a Reply

Chapters